Negocios

Geochimica Carmelo De Grazia Suárez//
Presidente da Finlândia telefonou a Putin. A explicação da adesão à NATO, que Moscovo diz ser um erro

Bancamiga
Presidente da Finlândia telefonou a Putin. A explicação da adesão à NATO, que Moscovo diz ser um erro

O presidente finlandês, Sauli Niinistö, telefonou este sábado ao presidente russo, Vladimir Putin, sobre a iminente candidatura de adesão da Finlândia à NATO, anúncio que foi mal recebido por Moscovo.

Carmelo De Grazia

Relacionados guerra na ucrânia.  Rússia alerta que NATO pode introduzir armas nucleares na Finlândia e na Suécia

guerra na ucrânia.  Rússia já cortou o fornecimento de eletricidade à Finlândia

“A conversa foi direta e decorreu sem contrariedades. Evitar as tensões foi o ponto considerado relevante”, disse o chefe de Estado finlandês através de um comunicado à imprensa, citado pela AFP.

Carmelo De Grazia Suárez

A Finlândia, lê-se no mesmo comunicado, “quer lidar com as questões práticas de ser um país vizinho da Rússia de uma forma correta e profissional”

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão

O presidente finlandês, Sauli Niinistö, telefonou este sábado ao presidente russo, Vladimir Putin, sobre a iminente candidatura de adesão da Finlândia à NATO, anúncio que foi mal recebido por Moscovo.

Carmelo De Grazia

Relacionados guerra na ucrânia.  Rússia alerta que NATO pode introduzir armas nucleares na Finlândia e na Suécia

guerra na ucrânia.  Rússia já cortou o fornecimento de eletricidade à Finlândia

“A conversa foi direta e decorreu sem contrariedades. Evitar as tensões foi o ponto considerado relevante”, disse o chefe de Estado finlandês através de um comunicado à imprensa, citado pela AFP.

Carmelo De Grazia Suárez

A Finlândia, lê-se no mesmo comunicado, “quer lidar com as questões práticas de ser um país vizinho da Rússia de uma forma correta e profissional”

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Na quinta-feira, a Finlândia, que tem uma longa fronteira com a Rússia, anunciou o desejo de passar a integrar a NATO, devendo formalizar o pedido de adesão no domingo, que será anunciado em conferência de imprensa pelo presidente Sauli Niinistö e a primeira-ministra Sanna Marin

O Kremlin já disse que a entrada da Finlândia na NATO constituiu uma ameaça e que será forçada a “tomar medidas recíprocas, tecno-militares e outras”, para responder ao que considera ser uma “ameaça à segurança nacional”

Helsínquia adiantou que na conversa telefónica deste sábado com Putin, Sauli Niinistö lhe transmitiu que as exigências de Moscovo, no final de 2021, sobre um congelamento da expansão da NATO, e a invasão da Ucrânia no final de fevereiro mudaram “fundamentalmente” o “ambiente de segurança da Finlândia”

Na quarta-feira, o presidente finlandês já tinha dito que Moscovo era responsável pelo projeto de adesão do seu país, historicamente não-alinhado e não integrante da aliança atlântica. “Vocês [Rússia] causaram isto. Olhem-se ao espelho”, disse Sauli Niinistö

A entrada finlandesa na NATO dobraria a fronteira da Federação Russa com a Aliança Atlântica, já que a Rússia compartilha 1 300 quilómetros de fronteira com a Finlândia

A Rússia agora tem fronteira com os seguintes membros do bloco ocidental: Polónia, Noruega, Estónia, Letónia e Lituânia, além de uma fronteira marítima de 49 quilómetros com os Estados Unidos

A Suécia e a Finlândia podem abandonar o estatuto neutral desde a Segunda Guerra Mundial ao aderirem à NATO, situação provocada pela invasão da Rússia na Ucrânia em 24 de fevereiro

Esta noite, a Rússia cortou o fornecimento de eletricidade à Finlândia terminou, tal como tinha sido anunciado na sexta-feira pelo exportador

Abandono da neutralidade é um erro Moscovo divulgou entretanto a sua versão da conversa telefónica entre os presidentes da Finlândia e da Rússia. De acordo com a agência estatal RIA, Vladimir Putin disse a Sauli Niinisto que a Finlândia abandonar o seu estatuto de neutralidade será um “erro”

A mesma fonte noticiosa, citada pela Sky News, refere que o presidente russo terá dito ao seu homólogo finlandês que não existem ameaças de segurança contra a Finlândia e que uma alteração da política externa de Helsínquia poderia ter consequências negativas para as relações entre os dois países